Início > Artigos Raffa Cabo Frio > COMO EU FAÇO PARA ARRUMAR UM PATROCÍNIO? BY KLEBER CARAMELO  -  R$ Consulte    

Você está a fim de saber como obter e manter um patrocínio com marcas que podem endossar a sua carreira? 
Invista seu tempo lendo este texto até o fim e após isso você vai saber que “saber se vender não é coisa de prostituta”!

POR Kleber Caramello, Prof. Bráulio Colmanetti e Fred Azevedo

Praticamente todos os dias quando estou na academia World Gym exercendo minha profissão, em algum evento de culturismo, fitness, MMA ou apareço on line em alguma rede social, algum atleta ou mesmo um desconhecido me faz está repetida pergunta: como eu faço pra arrumar um patrocínio?

De uma maneira ou outra, eles sabem que tenho alguns parceiros comerciais de expressão internacional, tais como:

Mednutrition (www.mednutrition.com.br maior fabricante de suplementos da América latina),

World Gym Brasil (www.worldgymbrazil.com franqueadora nacional da maior rede de academias do mundo),

Quiznos Subs (www.quiznosbr.com.br segunda maior franquia mundial de sanduíches submarinos),

Smartshake ( www.smartshakebrasil.com.br detentor de 85% do mercado nacional de coqueteleiras de luxo )

Ou até mesmo tenham visitado e lido dentro do meu website – www.personaldascelebridades.com.br– sobre minha formação em publicidade e propaganda, com pós-graduação em marketing.

A questão é que arrumar um patrocinador ou um parceiro comercial, não é fácil, mas também não é um bicho de sete cabeças.

Dê cara o atleta tem de ter consciência de que patrocínio não é uma grana que o propenso patrocinador tem sobrando e vai jogar no lixo, e sim uma cota de propaganda na qual o patrocinador deposita, em forma de confiança, a perspectiva de investimento no atleta e retorno em divulgação que ajude sua empresa a ser mais bem vista pelo seu consumidor ou lembrada na hora da compra de um produto especifico diante da oferta de varias marcas.

Traduzindo isso para um português bem claro: ou o atleta representa bem a marca do seu patrocinador lhe trazendo resultados na hora da venda e divulgação, ou esqueça. Ninguém dá patrocínio por dar, a não ser que esteja lavando dinheiro.

A boa maioria dos atletas acha que as empresas têm obrigação de patrocinar a ele ou a outros, quando na verdade isso não existe.

Existem empresários de visão que enxergam potencial de marketing associando a sua empresa a um ou mais atletas, mas tudo é uma contra partida no retorno de visibilidade que eles vão oferecer a ele.

Um exemplo clássico e que fere os atletas de outros esportes são as grandes cotas de patrocínios que os maiores times de futebol no Brasil ou mesmo a da seleção brasileira recebem. Muitos atletas falam: só o futebol tem patrocínio nessa #$%&* de pais !

Na verdade isso não confere, pois os times perdedores ou que aparecem poucas vezes disputando partidas ao vivo também não tem grandes patrocinadores, e times que nem aparecem como os que disputam a segunda e terceira divisão mal se sustentam.

Então o que você está dizendo é que para ter um patrocínio eu devo aparecer na TV? Não só na TV,mas estar em todo lugar ao mesmo tempo (onipresente). Muitos devem lembrar que a seleção brasileira de vôlei masculino só começou a aparecer pra valer na TV, com prestigio e patrocínio, depois de conquistar uma medalha de prata em jogos olímpicos, a ginástica depois que a Daine dos Santos ganhou medalha de ouro, e a natação só ganhou destaque e patrocínio depois da era Gustavo Borges e Fernando Scherer, ou seja, produtos prontos e vendáveis que com um pouco de mídia geraram visibilidade aos patrocinadores onde eles estivessem.

Quem dera todo atleta pudesse ter um assessor de impressa que o colocasse na mídia todas as semanas marcando entrevistas em jornais e rádios e participações em programas de TV.

Vou relacionar alguns erros freqüentes dos atletas amadores que reclamam da falta de patrocínio, mas não fazem o mínimo para se tornar um produto vendável. Todos eles têm alguma relação uns com os outros.

Libere a sua cabeça de todos os seus “pré-conceitos”, ou seja, de tudo aquilo que você acha que está fazendo certo com a sua carreira de atleta e veja na lista abaixo onde você está errando ou se enquadra.

É preciso ser um campeão?

Conheço muitos campeões que não tem patrocínio e outros que não são tão bons e tem, isso em virtude de quanto cada um sabe se vender e de quanto cada um sabe os requisitos para se tornar um produto vendável. É melhor ser um atleta de destaque e carismático que um campeão apagado. Um bom sorriso abre portas. Direto campeões disso ou daquilo vem conversar comigo, falando que precisam de um apoio e eu pergunto: você já ganhou tanta coisa e isso tudo foi divulgado aonde para que qualquer pessoa possa ver? Ele nunca tem resposta pra isso!

É preciso ser bonito?

Não necessariamente é preciso ter beleza, até por que nem todo mundo nasce com isso, mas é preciso mostrar que se importa com ela e que se cuida para não parecer feio ou uma aberração. Se for belo ou bela isso ajuda, afinal quem quer vincular sua marca ao feio e desleixado? Foi o tempo que fazer cara de mal na foto vendia anúncio. Barba bem feita, cabelo bem cortado ou hidratado no caso das mulheres, pelo menos nos eventos quando irão tirar fotos com os fãs é o mínimo que se espera.

É preciso estar em boa forma física?

A menos que você seja um lutador de sumô ou praticante de outro esporte aonde a gordura seja pertinente no bom desempenho físico, estar em boa forma e com um corpo no mínimo atlético é fundamental. Nem mesmo uma rede de fast food patrocinaria um obeso, muito mesmo uma empresa de suplementos que vende boa forma em todos os seus produtos. Mantenha uma forma boa e uma postura agradável e confiante.

É preciso estar na mídia?

É fundamental ter uma boa relação com a mídia e estar sempre em redes sociais, responder entrevistas, participar de fóruns de chats, se puder até mesmo ser um colaborador de algum meio de comunicação que favoreça você na maior abrangência possível. Lembre que você deve se comportar como um Lord Inglês, não entrando em polêmicas tendo sempre uma resposta diplomática para os assuntos. Pelo amor de Deus, não entre em brigas de fóruns da web ou redes sociais com ninguém,  pois é a sua imagem que vai sair manchada dessa discussão.

É preciso ter um cartão de visitas?

É fundamental ter um bom cartão de visita, afinal se você quer ter um patrocínio, você está se vendendo como um profissional naquilo que faz. Como você vai pedir para o seu provável futuro patrocinador anotar no telefone particular dele o seu numero por não ter um cartão ou então vai lhe dar um guardanapo ou retalho de papel com um rabisco muitas vezes com uma letra indecifrável.Não faça isso nunca, você está jogando o tempo do empresário na lata do lixo com esta atitude, e com certeza não vai conseguir nada dele. Não diga também que mandou fazer e não ficou pronto se fazem quatro anos que você compete. Essa mentira não cola. Confeccionar 1000 cartões custam cerca de 100 reais e ele passa a sua imagem adiante, por isso é o investimento mais barato que qualquer profissional pode fazer. O cartão deve conter um telefone fácil de ler com DDD, seu nome, numero de registro do conselho de classe ao qual você é ligado se for o caso (Cref, Crn ou outro) , sua web e seu email , todo o resto é complemento.

É preciso ter uma pagina na internet?

Quem não está na internet, não está em lugar algum do universo !

A web page particular do atleta é o lugar virtual onde está todo o seu currículo de disputas, fotos de podium e com celebridades, links de vídeos. É o lugar aonde toda a vida do atleta deve estar. Ali o atleta vende as suas camisetas, divulga o calendário de onde vai competir ou visitar e coloca o link dos seus patrocinadores. Você não pode ir a uma reunião de negócios, fechar um patrocínio e não mostrar a sua presença na rede mundial de  computadores. Gaste menos dinheiro comprando tênis da moda ou iphone e monte um site. Nunca diga a um empresário que um amigo está vendo ou fazendo isso pra você, demonstra todo o seu desprezo por essa importante ferramenta de contato. Conheço vários atletas que tem “amigos” montando seus sites e dois ou três anos, e essa mentira não cola mais.

É preciso se vestir bem?

Um atleta não precisa estar de terno e gravata durante o dia se não desenvolve atividades em alguma repartição ou escritório que exija isto dele, mas não pode andar como um mendigo mal vestido e com roupas furadas e puídas ou mesmo um tênis desgastado e sujo quando não está treinando. Se você gosta deste visual, vai arrumar quem lhe pague um prato de comida e não um parceiro comercial que invista na sua carreira. Ande limpo e bem vestido, afinal você não sabe se no final do seu treino um amigo pode lhe apresentar um empresário que poderia lhe patrocinar e ao lhe ver todo rasgado ou puído dá um banho de água fria em todas as suas chances. Esqueça aquele lance de que você gosta de treinar com tal peça de roupa que está puída e desgastada, isso é coisa de filme da sessão da tarde, desapegue de tal bobagem e fique sempre apresentável.

É preciso ser bem articulado?

Tanto com as palavras quando com os relacionamentos. Se o atleta não consegue se expressar bem ou conversar com clareza olhando as pessoas nos olhos, o que demonstra sinceridade e confiança, falando um português cheio de erros ou uso exagerado de gírias, como ele acha que pode conversar com um empresário bem sucedido que está acostumado a se relacionar com pessoas de altíssimo nível sócio, econômico e cultural? Fica difícil!

Claro que nem todo mundo nasceu com o dom da palavra, mas treine ele ao máximo, pois uma hora você vai precisar e pode lhe custar uma boa oportunidade financeira. Falar errado não é crime, mas conversar sobre uma proposta comercial falando repetidamente a expressão: tá ligado, véio, cara e outras gírias, não lhe darão nem mesmo uma oportunidade de virar um DJ de hip hop ou Funk.

É preciso ser um arroz de festa?

Quanto maior a quantidade de eventos do seu esporte você freqüentar , mesmo que estes estejam em um nível inferior ao que você já se encontra , maior vai ser o seu retorno ou feedback com os seus fãs ou pessoas que te admiram. Isso vai lhe trazer mais oportunidades comerciais ou no mínimo encher os seus álbuns de redes sociais com fotos mostrando o quanto popular você é. Este tipo de presença nunca é demais desde que você saiba se comportar e socializar nestas ocasiões. Seja simpático e sempre presente.

Tire fotos com todo mundo e nunca se recuse a tirar fotos com desconhecidos, pois você vai ser divulgado onde nunca esteve.

É preciso ser colunista ou colaborador de algum meio de comunicação?

Cada um joga com as armas que tem, se você escreve bem, se ofereça como colunista para alguma revista especializada no seu esporte ou mesmo um site ou fórum que discuta isso. Na maioria das vezes não se recebe nenhum centavo para se fazer isso, mas por outro lado muitas pessoas estarão lendo a sua opinião e isso pode ser usado como instrumento de barganha para se fechar futuras parcerias. Comece com pequenos artigos e evolua para textos mais complexos.

É preciso estar ativo em redes sociais?

Uma rede social é o contato direto do atleta com o publico e demonstra a humildade e o carisma do atleta nesta interação. Não é necessário passar o dia clicando e tirando duvidas, mas dê sempre um pouco de atenção a quem te admira. Um número grande de seguidores pode lhe render bons contratos desde que sejam seguidores interessantes aos parceiros comerciais. Normalmente as mulheres têm mais facilidade em juntar seguidores nas redes sociais, mas não sabem converter estes seguidores em beneficio financeiro, e ficam esperando propostas, quando na verdade devem montar um portfólio e correr atrás das parcerias e receber vários “nãos” seguidos de outros tantos “sins”. Lembre que para cada escolha vai haver uma renuncia e a postura tomada pode fechar muitas portas. Não se esqueça de conferir a ortografia após escreve algo e antes de compartilhar!

È preciso ter um telefone celular bom?

Parece até ridículo eu escrever isso, mas melhor que ter um Iphone de ultima geração é atender ao telefone quando algum numero te liga. È uma tremenda falta de profissionalismo não atender ao telefone quando não está realmente ocupado ou em uma reunião muito importante, ou no mínimo mandar uma mensagem marcando retorno da ligação. Sorte e patrocínio não batem na porta todos os dias e eu já vi empresas desistirem de atletas por alegarem que eles nunca atendem ao telefone ou retornam ligações. Outra coisa intolerável é possuir três ou quatro telefones de operadoras diferentes e não atender nenhum. Tenha um bom telefone se você puder que tire boas fotos e esteja conectado as redes sociais, não deixe nada passar, coloque tudo que for bom on line na mesma hora.

É preciso ter bom caráter?

Em vários esportes conheci atletas que são famosos por receberem por consultorias e não cumprir com o acordo comercial firmado com o cliente.

Atleta, o mundo hoje é um grande Big Brother e qualquer coisa que um atleta fizer de errado como vender um material e não entregar, receber uma consultoria e não dar assistência, receber por algumas aulas e não comparecer ou mesmo comprar um material e não pagar vai minando as possibilidades de fechar qualquer parceria. Todo mundo sabe de tudo o que ocorre no seu esporte. Já vi atletas receberem dinheiro pra viajar e não irem à competição e também não devolverem o dinheiro destinado a isso. Você patrocinaria um atleta destes? De picaretagem eu quero distancia e pode apostar que o bom empresário, aquele que pode te ajudar também quer!

È preciso ser pontual?

Onde está o profissionalismo de alguém que comumente chega atrasado nos compromissos? Qual o grau de comprometimento de um atleta que faz com seus colegas e parceiros sempre o mesmo papel de vitima dizendo que pegou transito ou que algo fora do seu controle o fez se atrasar. Contar este tipo de mentira ou ser conhecido pela falta de pontualidade só desabona o atleta. Saia de casa mais cedo ou ligue dizendo que vai se atrasar antes de atrasar.  Quem faz os outros de bobo perde o credito que tem.

É preciso saber se reinventar?

Você vai ser atleta a vida toda? No decorrer de sua carreira procure fazer parte de outras áreas do seu esporte como arbitragem ou direção. Outra grande jogada que pode continuar lhe abrindo portas é ser um promotor de eventos ou um comentarista mesmo que seja em uma coluna no seu próprio site. Jogadores viram técnicos, viram empresários de atletas, viram dirigentes de clubes. É uma evolução natural. Estude, vire empresário, monte a sua marca de roupas ou afins. As possibilidades são ilimitadas, mas ficar sentado esperando uma parceria não vai lhe trazer nada mais que a dó dos outros!

Após ler tudo isso e refletido onde está acertando e errando, se pergunte: No lugar de um empresário, você investiria em alguém com o seu perfil?

Se a resposta for sim: vá à luta e boa sorte.

Se for não: melhore os pontos falhos e trilhe o caminho certo.

Não estou falando aqui que para se fechar um patrocínio ou parceria o atleta tenha de ter todos estes quesitos, mas com certeza todos o levarão ao ápice do profissionalismo. Também não afirmo que não se possa fechar algo sem ter algum deles, mas não preencher nenhum é praticamente impossível. Por que um patrocinador investiria em quem não tem potencial algum?

Já vi atletas do meu convívio com total despreparo mesmo depois de terem conseguido patrocínio. Andando desleixados, sendo fotografados com camisetas dos concorrentes do patrocinador ou não usando camisetas do patrocínio e alegando que o mesmo nunca as enviou. Eu mesmo já fui patrocinado por uma grande empresa que nunca me mandou uma camiseta sequer, mas tomei à iniciativa de mandar fazer as mesmas e enviei a nota do serviço a eles e fui ressarcido. Certa vez um atleta me disse que não estava nem ai se tinha ou não uma camiseta do patrocinador para usar, pois era do interesse deles fornecer. Essa atitude denigre o caráter do atleta. O atleta deve ter responsabilidade e comprometimento total com o seu patrocinadorSe o patrocinador cresce, o atleta cresce junto.

Tenho certeza que o atleta precisa muito mais do patrocinador, que o patrocinador do atleta!

Não estou aqui para dar aula de como arrumar um patrocínio, e deveria ter cobrado de cada um de vocês que leram este texto uma consultoria, pois já dizia o velho ditado que conselho se fosse bom não se dava, se vendia, ou que dica tem cheiro de consultoria de graça. De maneira geral estou tentando guiar o atleta a raciocinar nos erros que vem cometendo e o porquê ainda não tem uma parceria comercial forte.

Já cometi vários desses erros durante meus anos de atleta e de personal trainer, e tive várias boas oportunidades perdidas por imaturidade comercial, então justamente por isso valorizo meus grandes mestres na arte comercial e de marketing.

Fiquem todos com Deus e tenham carreiras vitoriosas!

Texto escrito por:

Prof. Kleber Caramello, O Personal das Celebridades

Cref 3771/DF (www.personaldascelebridades.com.br)

Prof. Bráulio Colmanetti

Cref 47666/SP (www.personaltrainersaopaulo.com)

Fred Azevedo

Editor Chefe do site Treino Pesado (www.treinopesado.com.br)

Participe

Indicar Voltar

Comentários

Carregando Comentários...

Adicione seu Comentário


400 caracteres restantes.

Clique no emotion para inserí-lo em seu Comentário. Quantos quiser.